Cor que azuleja o dia

Até o sol nascer amarelinho / Queimando mansinho / Cedinho, cedinho, cedinho Corre e vá dizer / Pro meu benzinho / Um dizer assim / O amor é azulzinho…

Ouvir a música “Azul” do Djavan me transmite uma sensação de leveza e tranquilidade. E é bem isso que a Teoria das Cores afirma que tal nuance provoca. Depois da overdose do color blocking, o azul aparece através da calmaria dos tons pastel.

Essas cores oferecem ao look um ar romântico e chic. Diante de tanta fofura, difícil é escolher o tom favorito, mas no ranking das candy colors, o Azulzinho, para mim, fica no topo.

Na última Harper’s Bazaar US tem escolhas lindas nessa cor:

Imagem: Harper's Bazaar US | Fevereiro - 2012

Além dessas peças “desejos”, selecionei alguns looks – mais vida real – que gostei bastante com toques de azul. Adoro a mistura do azul claro com rosê ou mostarda; outra idéia legal é a composição de peças em tonalidades parecidas como na produção da Jessica Stein na montagem abaixo:

Imagens: Lookbook.nu e Tuula Vintage

Outra combinação que acredito ficar bacana é o azul claro com vinho burgundy, remetendo ao navy de forma menos literal.

As opções são várias, o negócio é apostar no Azulzinho!

Anúncios

Entre linhas, miçangas e amor

Na aba “About” tem contando um pouquinho sobre mim, sou Designer de Moda e trabalho em uma empresa (Armazéns Guanabara) desenvolvendo estampas exclusivas e outras coisas mais. Sempre gostei de desenhar e, com a ajuda dos programas gráficos, criar rapós, imagens e layouts é algo que gosto muito. Além disso, algo que sempre gostei, mesmo antes de entrar na faculdade de moda, são trabalhos manuais. Costurar, bordar e montar acessórios – e outros projetinhos – para mim é terapêutico, é uma distração, um momento para relaxar.

Aos pouquinhos passei a vender algumas dessas minhas criações; comecei com um bazar junto com uma super amiga (S2) e segui fazendo vendas esporádicas.  Até que no final do ano passado, resolvi aumentar meu estoque e mostrar para pessoas próximas. Resultado: o retorno foi bem bacana, vendi um bocado e me animei para criar mais. A minha idéia é continuar tendo meus acessórios como meu “prazer particular”, já que eu que produzo  tudo e tenho outras atividades, deixar pequenininho e prezar pela exclusividade é a minha motivação.

Aqui no Bila vou ficar sempre mostrando minhas criações, meu processo criativo, o que me inspira, DIY e outras coisas que se relacionem com esse universo.

Informações: contato.bila@gmail.com

Crochê Lover

Sou apaixonada por crochê, acho que esse amor todo vem de família; minha avó paterna fazia crochê muito bem – e muito rápido – e minha avó materna vira e mexe me ensina alguns pontinhos, além das tias que também são super habilidosas nessa técnica.

No fim de 2010, teve o boom das pulseirinhas de crochê, e daí então essa trama tão linda, que andava meio esquecida, tem aparecido bastante em acessórios e roupas.

Algumas das minhas coisinhas:

Os cintos faz tempo que não uso, mas estou ensaiando à volta | A "febre" dessas pulseirinhas já passou, mas continuo usando misturadas com outras | O colete era da minha mãe e é tipo farda pra mim; a trama é, na verdade, uma versão industrializada dos pontos do crochê.

Dentre as tantas maravilhas de crochê que tem aparecido por aí, o que mais me chamou a atenção foi a linda bolsa Dolce & Gabbana – pequena bagatela de $1. 775. Vendo o blog da marca Acessórios, vi essas duas fofuras (a neon é minha favorita), não sei o preço mas com certeza é bem mais acessível que a D&G!

Um dia com disposição vou tentar fazer uma versão mais simples! (Fotos: Net-a-porter e Use Acessórios)

* Para quem quer aprender a fazer crochê mas não tem uma vózinha fofa para ensinar, vale conhecer a Crochet School, dentro do site Craftyminx, lá tem vários vídeos e tutorias super bacanas!

* Também vale conhecer o trabalho da Vanessa Montoro, estilista brasileira que cria peças incríveis em tricô e crochê.

Que o crochê continue sempre sendo usado e revisitado pelas marcas e consumidores!

Começando…

Eis que decidi criar um blog, uma vontade antiga por muito adiada pela preguiça e sensação de mais do mesmo. E agora que resolvi pôr isso em prática como não me repetir diante dos milhares de blogs que existem? A resposta eu não sei, só espero que esse espaço seja para mim um prazer, sem pretensão e sem pressão, uma ferramenta para eu compartilhar minhas idéias, criações e tudo aquilo que me inspirar e me fizer suspirar.

Então é isso, sejam bem-vindos e espero que gostem do que virem por aqui!

Inspire, expire, suspire!